0

Imagem simbólica da sacerdotisa com seus animais de poder. 
Escolhi esta ilustração para este texto pois mostra alguns dos meus animais
de poder que descobri quando comecei minhas descobertas xamânicas.
Escrever este artigo é trazer à lembrança uma série de momentos que passei na minha vida.
Ainda na infância, costumava ver uma sombra branca que se escondia atrás da geladeira sempre que eu ía atrás ver o que era, no começo tinha um certo receio, mas com o tempo, ele se foi.

Já com oito anos, comecei a me interessar pelo estudo de Psicologia e Grafologia através dos livros que ficavam na estante de sala e cobriam minha imaginação de possibilidades.

Aos poucos, surgiu a Revista Destino e com ela, comecei a brincar de estudar oráculos, I Ching, Tarô e Runas. Logo após, a desenhar mandalas e me surpreender ao vê-la publicada na revista... um grande feito para uma criança de 10 anos!

Lembro-me claramente que via luzes saindo da minha mãe, penetrando o meu corpo, eram azuis e rosa. Mas eu tinha receio por não compreender o que era.

Certa vez, aos nove anos, tive um pesadelo e acordei assustada sentando na cama e chamando “Saint Germain” três vezes seguidas. Perguntei à minha mãe quem era e ela respondeu que acreditava ser um estilista francês que eu tinha visto no Jornal Hoje. Cerca de dois anos depois, descobri quem Ele era, através da própria Revista Destino.

Ser médium me trazia descobertas e apreensões, especialmente quando via espíritos ou presenciava fenômenos físicos como ouvir o arrastar de correntes no telhado e no corredor da casa onde fomos morar. Gelava a minha alma, mas não era só eu que escutava.

Aos poucos, eu que era leitora assídua da Seicho-No-Ie, passei a ouvir a Rádio Mundial e o Programa do Gasparetto, lá conheci o Calunga ainda aos 11 anos e nesta idade sequer tinha idéia que um dia teria a mediunidade de incorporação.

Chegou os 18 anos e com ele uma EQM – Experiência Quase Morte, o engraçado foi que vi a cirurgia completa de cima do corpo. O susto foi do médico residente da Unicor, na época, que me viu relatar em detalhes tudo o que me lembrava. O jovem saiu apressado do meu quarto indo relatar ao responsável pela UTI que eu tinha visto a cirurgia e que não devia estar completamente sedada.

O então médico-chefe da UTI, passou a me visitar no leito enquanto eu dormia e aplicava cura com as mãos... As mesmas luzes voltaram e eu adorava vê-las nas cores rosa, azul e dourada saindo da mãos dele em direção ao meu coração. Era simplesmente fascinante!

Meu erro foi perguntar o que ele estava fazendo, queria entender melhor... ele saiu apressadamente da UTI e nunca mais retornou, acho que não podia chamar a atenção.

Ele costumava dizer à minha família que acreditasse na minha recuperação, pois eu tinha um "espírito forte!", na época eu tinha menos de uma chance em um milhão de sobreviver... e eis que aqui estou!

Alguns meses depois, estava numa festa de aniversário tinha organizado para o meu irmão, eu amava cantar! E imitar Whitney Houstoun e Mariah Carey no karaokê, provocavam o ápice da minha alegria.

Lembro que de repente me senti muito mal e me dirigi a um quarto da casa, uma amiga foi comigo e então manifestei um espírito pela primeira vez, era uma menina de 15 anos que tinha sido assassinada. Logo depois, manifestei aquele que ela identificava como sendo o seu algoz.

Mas no meio de tanta inexperiência, vários fenômenos físicos começaram a ocorrer na casa, assustando os amigos presentes. O lustre balançava, a maçaneta girava sozinha, as luzes piscavam... tudo isto passaria por mera imaginação ou cenas de um filme se não tivesse sido presenciado por cinco pessoas. Era 06/09/1997, que data marcante! Que momento difícil!

Passei a frequentar um centro espírita que após a análise do Colegiado confirmou que precisava iniciar o desenvolvimento mediúnico.

E tudo ía se desenrolando tal como tempestade de poeira no deserto, tudo nublado, difícil e pesado... sim, naquela época era assim que via, pois tinha muita dificuldade em controlar as manifestações mediúnicas e trabalhar se tornou um desafio quase insuperável.

Na época tive a ajuda de amigos que me escondiam quando sem conseguir controlar, manifestava no trabalho um espírito que precisava de resgate e orientação.

A melhor parte da mediunidade foi que com ela vieram muitos amigos espirituais, passei a falar em outros idiomas, escrever em línguas antigas e assim redescobri os desenhos que fazia na adolescência enquanto falava ao telefone. Minhas mãos sentiam uma forte energia e passei a psicografar e pictografar pinturas mediúnicas aos poucos.

Mas minha mediunidade era bastante ostensiva e certo dia um dirigente de um centro e amigo do trabalho, percebendo o que eu passava no trabalho, me deu várias orientações das quais nunca vou esquecer... O único problema foram as fofocas que passaram a ocorrer através de uma pessoa que ouviu a nossa conversa e espalhou entre os corredores da empresa, na hora do almoço, no ônibus... isto foi causando tamanho constrangimento que optei pelo pedido de demissão na época e poucos amigos souberam que na verdade comecei a me sentir tão perseguida que acabei ficando doente e justifiquei como sendo este o motivo principal.

Lembra que comentei dos amigos espirituais?

Pois é, primeiro conheci amigos do Oriente e depois um dos Calungas. E quanta amorosidade e conhecimento adquiri com cada um deles... Era o começo do ano 2000 e minha vida se chocava entre passar mal em ambientes públicos como shoppings e eventos públicos e sentir todo o meu corpo expandir ao ouvir música clássica e ópera, o sentimento tomava conta do meu ser, arrepiava o coronário e as lágrimas eram inevitáveis.

Aliás, as lágrimas sempre foram sinais de aproximação de alguém do lado de lá e aos poucos fui aprendendo a lidar com tudo isto. Com estudo e muita prática.

E foi assim que certo dia, um amigo espiritual me disse que chegaria o momento em que mudaria para o Mato Grosso, e te juro que naquela época tudo parecia um absurdo! Eu, sair do interior de SP e me mudar para um lugar onde não conhecia ninguém? Como seria possível?!

Logo no começo de 2000 tive acesso ao estudo da Grande Fraternidade Branca... aos poucos, comecei a acessar um site de espiritualidade e a ler sobre o Comando Ashtar Sheran. Até que Ele passou a me visitar.

As orientações continuaram e assim os próximos 16 anos transcorreram com tamanha vivacidade e precisão de informações sobre as orientações que recebia que impressionavam a todos os que eu conhecia e sabiam deste meu lado.

Neste período de 2000 a 2016 fiz muitos e muitos resgates, sonhava com eventos planetários, acidentes, tsunamis e outros que ocorria no prazo de horas a 2 anos depois.

Aliás, perdi um amigo ao descrever o tsunami da Indonésia dois dias antes do fato ocorrer... ele ficou tão assustado quando a tragédia se confirmou que nunca mais quis falar comigo! Tudo vinha através de sonhos, mensagens psicografadas, visões...

Ainda no ano 2000 decidi aprender tarô e tudo o que via nas cartas se concretizava, confesso que algumas previsões me assustaram tanto que optei por parar de jogar. Hoje em dia, quero muito retomar os estudos.

Bom, os anos se passavam, os resgates eram feitos, os fatos se confirmavam... a crise de 2008 abalou todos economicamente e anos depois eu ainda enfrentava os efeitos econômicos desta fase.

Assim fiquei desempregada e decidi consultar uma taróloga. Era o ano de 2011 e ela viu nas cartas que em cerca de dois anos conheceria alguém e me casaria. Que daria aulas numa faculdade, que mudaria completamente de vida, me mudaria para outro estado e o meu futuro marido me entenderia completamente em todos os sentidos... que viajaríamos dando cursos e palestras, que eu usaria roupas diferentes e cores de cabelos diferentes... E sabe que aos poucos, tudo se confirmou?

Mas a verdade é que este também foi o motivo pelo qual me confundi... Conheci um rapaz em 2012 logo após uma cirurgia na coluna que precisei fazer quando sofri um acidente e parei de andar por dois meses... Graças à cirurgia, tudo deu certo e voltei a andar.

Mas pouco tempo depois começamos a namorar e em seguida ele foi transferido para outra cidade... chegaram as férias e em 16/01/2013, fui para Brasília, DF e passamos pela cidade de Águas Lindas de Goiás. Naquele exato dia, o Shima tinha começado a trabalhar na escola onde  tinha sido aprovado em um concurso público. Mal sabia eu, que um dia iria lá morar.

Fico pensando como seria se o Shima e eu tivéssemos nos conhecido naquela época, com certeza eu não teria tido tamanha desilusão ao me enganar querendo acreditar que tinha encontrado a pessoa certa e ele idem...  Mas a vida dá suas voltas e os mestres nos recolocam nos trilhos quando eles decidem descarrilhar...

Graças a Deus, ao questionar o meu relacionamento numa consulta de búzios, fui informada que se aquele rapaz continuasse com aquele comportamento comigo, a Amada Mãe Iemanjá o afastaria e assim se sucedeu, pouco tempo depois todos os indícios de uma traição se confirmaram e segui livre, sem imaginar que alguns anos depois, voltaria à capital do DF e à Àguas Lindas de Goiás com uma nova pessoa... desta vez, a certa!

Mas a história não para por aqui, ela é cheia de vieses e revezes...

Consultei novamente o tarô e desta vez ao questionar se um dia encontraria a pessoa certa, a nova taróloga foi categórica!
“- Vai encontrar, mas não sei se você vai querer, pois ele é muito mais velho que você, tem sérios problemas financeiros e vem de longe!”.

Então questionei se um dia iria ter um relacionamento duradouro e a resposta foi:  “- Após os 35 anos irá se casar e terá um filho por volta dos 38 a 40 anos “.

Não levei muito a sério... e achei tudo uma loucura... se casar depois dos 35??? Ter filho com quase 40? Eu já tinha desistido! Logo eu que decidi em 2003 que se estivesse solteira aos 33 anos me mudaria para a África para trabalhar como primatóloga ao lado da Jane Goodal ( e eu falava sério...). 

Só não me mudei pois ao final dos 32 anos sofri aquele acidente que mencionei acima em que parei de andar... que fase, meu Deus! Com o sofrimento, desisti de tentar este sonho, ficaria pra depois ou talvez nunca... pois os efeitos do acidente me deixaram com muitas dores  como sequela.

Mais dois anos se passaram e fui fazer um curso em SP com o Gasparetto e te digo que foi lá que conheci o Povo de Aruanda!

Eu tinha muito pré-conceito, mas me encantei tanto ao ver o Pai João de Angola falar que fui à livraria que tinha no 'Espaço Consciência' e comprei alguns livros do Rubens Saraceni.  

Foi através deles que descobri finalmente quem eram os Exus, os falangeiros de Miguel, os senhores da Ordem Divina.

Começou o ano de 2014 e decidi procurar uma Tenda de Umbanda de confiança, conheci a Tenda de Umbanda Pai Benedito da Guiné, em São José dos Campos, SP. 

Lá o Guia da Casa, um Boiadeiro me disse "Minha filha, você tem uma missão muito bonita que ainda não vi por aqui, você vai psicografar e fazer pinturas mediúnicas e assim divulgar a espiritualidade"... era o sinal que esperava! Finalmente tive a confirmação de um Guia de que a mensagem que recebi de meus mentores em 2003 era verdadeira e não somente 'coisas da minha cabeça'.

Lembro claramente que o desemprego me tirava o sono no começo de 2015 e aquilo corroía a minha alma, passava dias e noites em claro, tentando achar uma solução, uma alternativa.

Um belo dia, 07/06/2015 adormeci ao meio dia, após passar toda a noite e a manhã acordada cadastrando produtos para venda pela internet, era meu meio de driblar a fase difícil.

Cerca de 15 minutos depois, escuto o Exu Sr Tranca Ruas das Almas me chamando. 


“- Acorda menina e entra no Facebook”.

“-Quando eu acordar eu entro!”, respondi.
“-Entra agora, por favor”, ele disse.
“- Estou com sono!”, retruquei.
“-Vai menina, por favor, é importante”.

Lá fui eu, mal enxergava... li, li e não vi nada.
Então ele disse: “- Olha pra direita”.

Neste exato momento, o Facebook sugeriu que eu participasse do grupo PTL, no qual o Shima era instrutor.

Eu não conhecia o Blog dele, nem os amigos dele, nem os grupos.
Mas seguindo a orientação, pedi para ser adicionada e adormeci logo em seguida...

Minutinhos depois, Ele me pede “- Vai, menina, entra lá, já te aprovaram, é importante!”

Fiquei curiosa, o Sr. Tranca Ruas nunca tinha sido tão insistente e entrei... foi quando comecei a ler coisas que conheci através dos meus estudos sobre a Grande Fraternidade Branca, sobre projeção da consciência, emanações de luz e muito me encantou pois parecia que finalmente um grupo me entendia, me reconheci instantaneamente e não parei de ler até terminar de ver tudo.

Enviei várias perguntas queria saber mais sobre os estudos... Mas sinceramente, na época as respostas às minhas dúvidas vieram do perfil Guardiães da Luz de uma forma muito seca e após a terceira vez, decidi deixar o grupo.

Coincidentemente quando decidi sair do grupo, pela primeira vez o Shima respondeu uma pergunta que postei sobre “Bolhas de Luz” e por ser muito educado e detalhista, decidi continuar no grupo para saber mais do que se tratava.

Comecei a participar das meditações, das operações resgate, rastreamentos e aos poucos um mundo mais pleno em detalhes e conhecimento se revelava.

Finalmente eu vi que tudo o que eu via e sentia , fazia sentido... mais pessoas viam e sentiam! Que incrível, encontrei minha família espiritual! – Era assim que eu pensava.

Participei de várias operações... aprendi a acessar os registros akáshicos. Passei a ver o Cmdte Ashtar, Mãe Maria... Encontrei Pai  Micah num Templo em Darjeeling, que experiência única!!!

Certo dia, o meu mentor pediu para avisar ao Shima... "Ela é a Coruja Branca!", eu passei a mensagem crente que ele me explicaria o que era... mas só fui descobrir alguns meses depois. Mal sabia eu que naquele mesmo momento, uma Coruja Branca o visitava no NA de Águas Lindas. Sim, uma 'coruja branca'... na verdade uma Coruja Suindara que se mostrou para mim exatamente no dia que terminamos de escrever o Estatuto Social da Grande Fraternidade Humana da Terra... mas isto fica para outra história...

O tempo foi passando, me tornei canalizadora do grupo... E tempos depois, a separação conjugal do Shima ocorreu.

Ele passou por um período de intenso sofrimento e para piorar, sofreu um acidente e quebrou a vértebra da coluna, ficando todo engessado. Aos poucos começamos a nos aproximar também como amigos, eu tinha tantas perguntas sobre a projeção da consciência que ele acabava perdendo um tempo a mais comigo... até que um dia ele me mostrou uma ilustração de uma moça do Japão.

Aquele desenho começou a trazer várias lembranças de uma vida passada.

E cerca de um mês após ele me mostrar esta foto, após uma longa conversa, o Shima foi enfático:

“- Ainda tem alguma dúvida sobre nós?!”

Pensei comigo “- Ele tá doido... o que quer dizer com isto?”

Mas a pergunta foi tão enfática que decidi refletir.

Foi quando resolvi rever os registros akáshicos e tudo o que tínhamos nos lembrado... após muitos e muitos questionamentos internos e muita negação interna pois não queria mais me envolver com ninguém... afinal, naquele momento eu jamais pensava em ter um novo relacionamento... sempre fui muito traída e tinha medo de me envolver e sofrer, só não virava freira pois não tinha conhecido um Convento Espírita (hehehehe).

As lembranças me mostraram o que eu tinha medo de enxergar... foi quando eu não tive mais dúvidas... tínhamos nos reencontrado.

E o que era uma profunda amizade aos poucos se tornou um relacionamento sério, onde juntos até hoje, reaprendemos a caminhar dia-a-dia, entre tempestades e bonanças, sol e chuva, brisas e vendavais. Dançando sob a lua ou usando o cabo da vassoura como microfone na sala de jantar.

Ele como o Sol  e eu como a Lua... assim registramos a história entre um guerreiro e uma sacerdotisa... que foi escrito nas estrelas! Num tempo tão tão distante...

Para terminar... queria lhe contar que 14 anos depois vim morar em Mato Grosso, junto com o Shima, concretizando o que meu mentor tinha me revelado em 2002 e que foi confirmado através das minhas visões, naquela época.

E hoje, 22/11/2017 posso lhes contar que lancei meu primeiro livro psicografado, foi uma experiência fascinante e espero que de alguma forma possa lhe ajudar em sua caminhada.

Em amor e luz,
Renata.
Namastê!

Ah, em breve vou registrar um pouco do que aprendi durante a vida através da minha mediunidade no canal 'Eu, Médium' que criei este ano no Facebook e no YouTube, vejo você lá!
https://www.facebook.com/eumediumrenata


Sugestão de leitura: 


Livro ""

Chamas Gêmeas


Como Encontrar e Reconhecer a Sua Metade

A Sacerdotisa e o Guerreiro

Corujinha - A vida de uma Guerreira










Postar um comentário

 
Top