0


Saudações da Luz, queridas Águias!

Hoje trouxe para vocês este magnífico artigo da Corujinha, que nos ajuda a refletir sobre nós mesmos...

Como sempre digo, todos nós temos a mediunidade mas nem todos são médiuns, da mesma forma que temos a inteligência, mas nem todos seguem a mesma profissão ou desenvolvem as mesmas habilidades. 

Para ser médium é preciso que se desenvolva este aspecto e se torne um servidor da espiritualidade de forma consciente para que possa trabalhar como um canal e instrumento entre o plano espiritual e o plano material em auxílio à raça humana e às emanações de vida presentes em nosso orbe terrestre.

Mesmo que durante toda a minha vida tenha vivido com a mediunidade a flor da pele, não fui médium no início pois sabia que teria que estudar, desenvolver e se dedicar muito a esta atividade.

Somente no final do ano de 1977 foi que me interessei após sofrer uma série de acidentes de carro onde sobrevivi graças ao amparo dos meus guias espirituais e, em consequência fiquei sabendo que estes eventos foram ocasionados por magia negra.

De uma forma inusitada comecei a tomar consciência da minha mediunidade e de como poderia desenvolvê-la da forma correta. Foi nessa época que passei a conhecer as entidades do Povo de Aruanda e com eles passei a interagir até a minha partida para o Japão em 1990.

Ler o teu relato, Corujinha, trouxe-me à memória todas essas circunstâncias de aprendizado e ao conviver contigo diariamente, aprendi a conhecer outros níveis da atuação destes irmãos divinos em sua missão como Guardiães da Humanidade.

Por isto, é com imensa alegria que faço a introdução neste teu artigo tão especial, onde você compartilha na tua página Eu Médium, as suas experiências, descobertas e vivências, resgatando o teu passado de sacerdotisa o serviço ao Plano Divino.

Gratidão profunda,
Shima.
Namastê.

Logo abaixo, segue o artigo a que me refiro. Deixem seus comentários para a Corujinha...

__________________________




Olá, bom dia!

Por que coloquei este nome na página se todos temos mediunidade?

Por isto mesmo... Todos temos mediunidade, alguns ainda estão se descobrindo e outros já se encontram mais despertos após iniciar o processo de busca pessoal sobre as sensações e outras capacidades mediúnicas que podem se desenvolver à medida que nos dispomos a estudar e procurar compreender o Universo que nos cerca, com amor e alegria.

Alguns desenvolvem sua mediunidade enquanto outros tentam suprimi-la e se sufocam em si mesmos..
.
Todos temos mediunidade e podemos ser qualificados como "médiuns" conforme Kardec fundamenta.

Alguns assumem sua condição mediúnica e se tornam "médiuns à serviço da espiritualidade crística". Outros tentam esquecê-la ou desviam seu propósito.

O nome desta página tem como intenção reunir todos os que buscam conhecimento para a troca de experiências.

Muitos são médiuns conscientes mas nem todos comentam sobre isto no dia-a-dia, seja por falta de oportunidade ou até mesmo vergonha.

Assim, queria lhes contar que recebi um grande número de mensagens de amigos que mesmo me conhecendo desde o ano 2000 nunca tocaram no assunto... Eram amigos da escola, do trabalho, de vários lugares e ocasiões... e comentaram que ao ler o artigo, se identificaram de alguma forma e me escreveram contando um pouco mais de suas histórias pessoais.

Muitos relataram que se sentiam sozinhos, com receio de falar sobre o assunto pois ainda há pré-conceito na sociedade.

Até mesmo pessoas de outras religiões e de dois países europeus entraram em contato relatando como foi o processo pessoal de reconhecer a mediunidade.
Que experiência rica!

Então, deixo aqui o convite para que todos vocês também me escrevam e vejam este espaço como uma oportunidade de trocarmos vivências, experiências e conhecimento.

Meu único desejo é o de aprender junto com vocês e compartilhar um pouco mais sobre o que já pude conhecer.

Um grande abraço!
Gratidão profunda.
Renata Zimmermann
Namastê!


Conheça a página da Renata no Facebook: 

Conheça o Grupo Povo de Aruanda no Facebook:

Postar um comentário

 
Top