0



"Olho para ti amada Gaia em sua imensidão
Mal posso acreditar como és tão bela e radiante!
No interior deste avião, cruzo os céus... e te vejo...
Tão imponente em sua viagem cósmica!" (Shima)

Ontem te vi...

Fiquei profundamente emocionado com a sua presença, minha querida Gaia...
Queria poder dizer muitas coisas, mas a voz calou na minha alma...
O que dizer para ti depois de assistir a tantas dores que passou?

Apenas a saudade de poder te ver, envolveu todo o meu ser...
Depois de tantas aventuras, dramas, histórias, conflitos... queria apenas te abraçar... nada mais.

Saber que você agora está bem... que você tomou a tua decisão... isso tudo me deixou comovido, pois agora sei que irá de encontro ao teu destino glorioso diante da Criação. Mesmo sabendo também, quanta dor carrega em si mesma. E como está sofrendo com tantas agressões ao seu corpo.

Testes nucleares, que arrebentam ainda mais sua carne e sua pele. Mal uma ferida se cicatriza, outras perfurações rasgam suas entranhas, numa exploração insensata e devastadora. Neste egoísmo humano, saciam-se da sua vitalidade.

Penso muitas vezes como reagimos quando um simples mosquito pousa na nossa pele, perfura nossas veias e começa a sugar nosso sangue. Como é que reagimos neste caso?

Bactérias e vírus invadem nosso corpos, destruindo nossa rede de anticorpos. Entramos em febre e em convulsões. Caímos de cama. Ficamos estatelados sem forças para reagir. Somos internados. Apenas a revolta interior de sentir nosso corpo atacado sem piedade. Reagimos com medicamentos pesados antes que a doença se alastre pelo corpo. A crença é a de eliminar os focos da contaminação e a erradicação das fontes que destroem nossa saúde.

Fico então a refletir...

Como é que você minha amada Gaia, deve reagir?

Falamos disso um dia, quando soube que uma parte do teu corpo entraria em convulsão e desencadearia uma onda saneadora sobre a superfície da tua pele. A limpeza interna teria que ser feita. A dor estava intensa. Intensa e profunda. Lembro-me disso.. fiquei triste e revoltado com o que fizeram contigo.

Você que está lendo, sabe como é ter uma ferida num braço? Imagina então colocar uma daquelas bombinhas de festas juninas nesta ferida e acender o fogo? Sente o efeito dessa explosão na própria pele? Como é que você ficaria? Como é que você reagiria com quem tivesse feito isso contigo?

Foi o que senti. A dor. A surpresa... o ato vil... "desumano"... não é o que se faz com uma criatura viva, não se faz com uma pessoa... e muito menos contigo, minha amada Gaia! Meu peito se incendiou... de revolta. Como podem fazer isso contigo? Por que???

E ninguém faz nada?

No caso da bombinha, sairia nos jornais. A sociedade entraria em comoção... reagiria... faria um auêe!!! E toma justiça no culpado de tamanha insanidade!!!

Mas contigo minha amada Gaia... ninguém diz nada? Fica por isso mesmo???

Extraem do teu corpo suas células. Retiram sua seiva que irriga seus órgãos. Jogam lixos contaminados em seu sangue. Rasgam tua aura com detritos das fábricas, das fumaças dos carros... nossa!!! Não sabem o que é apertar um acelerador? Já imaginaram o que ocorre com alguém dentro de uma garagem fechada com o motor de um carro ligado?

Quanto pensamento violento agride a tua atmosfera... Quanta emoção destrutiva explode no ar que te alimenta. 
Por que a todo momento desenvolvemos ações em busca de "riquezas" e não consideramos a vida que pulsa no teu corpo? Se somos assim tão insensíveis e parasitas, como podemos dizer que somos humanos?

Sabe minha amada Gaia...

Estes dias recebi a visita da tua "mentora"... e ela estava "revoltada"!

Veio de outro Universo... sentiu a tua dor e ouviu o teu grito!

Ela me disse que foi por causa dela, que você aceitou fazer a experiência aqui na 3D... que ela te convenceu a aceitar esta missão. Uma missão digna, divina... de abrigar uma raça humana num novo projeto evolutivo. E agora, vendo o que fizeram contigo, amada Gaia... vi o semblante dela se entristecer amargamente. Sentia-se culpada e até... exasperada!

Não aceitava isso.. o que fizeram.. o que faziam contigo!

Conversamos mais um pouco. e perguntei se ela queria te ver!

Aí seus olhos brilharam!!! Senti o coração dela pulsar que quase cai de onde estava sentado... de tão feliz que ela ficou em poder te ver... em poder te abraçar.... nossa!!!

Meus olhos encheram-se de lágrimas... quando ela disse que não te via desde aquela época... lembra?

- Ela é como uma filha para mim, guerreiro!

Aí sim, senti a dimensão da dor que explodia no coração deste ser planetário.

Então lembrei-me de quando te encontrei como um bebê, querida Gaia... e a abracei como a mais bela criança que já tinha encontrado neste Universo.
Te vi crescer. Senti e presenciei o sofrimento.... tuas dores quando foste agredida constantemente na tentativa de impedir que despertasse do teu sono milenar.

Agora... amada Gaia...

Te vejo bela e radiante crescendo!

Sinto-me também parte da tua vida... da tua existência! Como um pai me sinto também...

Um pai que chora... um pai que se alegra... mas acima de tudo, querida Gaia... eu sou um pai que te ama... e que agora, te contempla na tua beleza... que se orgulha da sua emancipação!

Ontem fui teu guardião... e agora me vejo como teu eterno admirador extasiado em vê-la como uma Deusa imponente e gloriosa. Pulsando na mais sublime majestade, percorrendo a tua jornada diante de todas as estrelas e confins desta galáxia.

Já vi muitas lágrimas brotarem de ti, parecia uma criança assustada. Hoje posso ver o teu sorriso estampado na face. Sei o que isso significa.

E estarei contigo, minha amada Gaia... que o teu direito à vida seja compreendido, mesmo que as consciências humanas ainda não tenham o alcance da magnitude da tua missão e do teu destino.

Siga em frente, Gaia... minha Deusa ainda tão jovem perante a Criação! 
Faça uma boa viagem!!!

Em Amor e Luz,
Gratidão profunda!
Shima.
Namastê.

Postar um comentário

 
Top