0



"Não há nenhum bem ou mal em si, como não há nem "elixir da vida" nem "elixir da morte", nem veneno em si. Tudo está contido na única e mesma essência universal, dependendo os resultados do grau de sua diferenciação e de suas várias correlações. O seu lado de luz produz vida, saúde, bem-aventurança, paz divina, etc.; o lado de trevas traz morte, doenças, tristezas e conflitos."
Por Helena Petrovna Blavatsky in 'A Doutrina Secreta'.

O evento ocorrido com a Luz Verde sobre o Japão e divulgado em toda a imprensa mundial, não foi um acaso e sim parte de um plano estabelecido com a intenção de proporcionar o "acordar" das consciências humanas no planeta sobre a existência da sociedade cósmica e universal que passa a atuar na Terra, cumprindo o propósito divino de estabelecer a Nova Era.

Mesmo que outras ocorrências destas aparições não tenham ocasionado tanta repercussão como as que aconteceram na América do Sul, citando os casos do Uruguai e Argentina no ano passado que foram originados da mesma nave que cruzou os céus do Japão, o evento ocorrido no dia 31/10/2016 foi inédito por ter sido registrado por uma emissora de TV e não somente por imagens de celulares.

Numa conversa com a comandante K., falávamos sobre a questão da negação que ocorre nestes avistamentos, pois já testemunhei isso várias vezes, incluindo o que havia ocorrido em Brasília em outubro de 2008 na cidade do Riacho Fundo durante o dia, quando ocorreu um avistamento "ao vivo" diante de muitas pessoas na rua, com todos se surpreendendo e se maravilhando com o fato.

Mas segundos depois após a desmaterialização da nave, todos simplesmente abaixaram a cabeça e continuaram suas rotinas como se nada tivesse acontecido de extraordinário. Naquele dia acompanhado de uma pessoa amiga comentamos: "É difícil mesmo as pessoas acreditarem, quando se tem na mente que os Ovnis são imaginação!"

Então, durante nossa conversa, a comandante K. disse que iria fazer a aparição no Japão de uma forma que pudesse ser registrada de forma oficial, sem gerar dúvidas, na ocasião, comentei que os japoneses acreditam mais e o fato de ter morado lá,  me propiciaria uma grande alegria.

Os "Ovnis" (objetos voadores não identificados) são considerados não-identificados somente para a população pois para os governos e militares, estes objetos são conhecidos desde a década de 50.
A terminologia "UFOs" acaba mantendo as pessoas afastadas desta realidade, que para eles é totalmente comum, inclusive alguns governantes e militares mantêm estreitos laços com seres extraterrestres.

Mas qual o propósito destas aparições mundiais?

A intenção prioritária é trazer a revelação ao mundo sobre a existência de vida abundante no Universo onde a sociedade cósmica é um fato manifestado. 
A humanidade convivia normalmente com nossos irmãos estelares há cerca de 4 mil anos, mas depois foi necessário o afastamento das Frotas Interplanetárias Confederadas, para respeitar o livre arbítrio da Humanidade.

Como estamos vivenciando uma transição planetária e a humanidade está percorrendo o caminho entre a consciência física material e a consciência sobre a espiritualidade, é sabido que a influência espiritual que vem do Oriente é mais aceita no mundo ocidental do que a do próprio Ocidente.

Temos vários exemplos que hoje fazem parte do conhecimento e práticas humanas aceitas no Ocidente através de várias filosofias e doutrinas orientais como: Reiki, Budismo, Seicho-no-Iê, Messiânica, Soka Gakai, terapias de cura, Ikebana, artes marciais e, entre seitas e religiões, a nação japonesa contribuiu na inovação do mundo industrial que deu início ao movimento dos Tigres Asiáticos no plano global.

O momento atual se relaciona a Gaia.

Então, o que podemos fazer durante estes próximos eventos em que a Terra passará por situações, sintomas e manifestações físicas, decorrentes do seu processo ascensional?

Estamos prontos para isso?


O tempo urge - Vamos nos unir a Gaia


Estamos presenciando diversas mudanças em nível global há alguns anos, mas a maioria da humanidade ainda ignora os fatos que vem se manifestando e em especial, o que vem acontecendo no mundo nos últimos meses.

É preciso que aqueles que acordaram para a realidade comecem a assumir uma postura e atitude extremamente positiva diante dos eventos que assolam a superfície da Terra, se engajar num movimento planetário para criar o verdadeiro sentimento de fraternidade.

Afinal, a humanidade será afetada como um todo e não apenas uma região. 
Que tal compartilhar conhecimentos, programas, estratégias e ações de prevenção mundial, unindo-se todos numa mesma direção?

O que se poderá fazer como primeiro passo?

Pensar. Refletir... e agir!

O conhecimento em si evita que o medo se alastre. 
A segurança em tormar a ciência da verdade sobre o que se deve fazer e providenciar, evita o estado de pânico, que seria muito nocivo para todos. 
A prática do discernimento é recomendado a todo o momento.

A esperança existe onde a fé for mantida.

Saiu esta semana uma notícia sobre a emersão de terras na costa nordeste da Nova Zelância e por isso, deixo um trecho do meu artigo publicado no dia 01/11/2016 neste blog: "O QUE É PRECISO SABER SOBRE OS EVENTOS PLANETÁRIOS"*, para análise e reflexão:

"Os terremotos que vem ocorrendo na Oceania estão ligados a outro evento que pode refletir na região das Ilhas de Fiji, Samoa Americana e Tonga causando uma transformação profunda. Por ser uma área submersa da antiga Lemúria, esta poderá voltar a emergir em breve, unindo-se à Nova Zelândia e formando um novo continente quase do tamanho da Austrália, que por sua vez poderá ter metade do seu território submerso"*.



A notícia que refere ao mesmo assunto publicada pela imprensa em 18/11/2016 está neste link: 'Nova Zelândia: terremoto ergueu por 2 metros o leito submarino'. 

Segue informações abaixo:

___________________

Imagens de satélites comprovam que as porções de terra vistas acima da linha do mar da costa norte de Kaikora, na Nova Zelândia, são na realidade partes do leito submarino, que se elevou por mais de 2 metros após o forte terremoto de 7.8 magnitudes que atingiu a região.
 

Logo após o terremoto, moradores da região de Kaikora notaram diversas novas formações próximas da costa, mas não tinham certeza do que se tratavam. Alguns acreditavam serem pedaços de rochas leves, deslocados de partes da costa, mas não conseguiam localizar exatamente de onde haviam se desprendido.

As novas imagens de satélites, aliadas às fotos e observações locais, mostram que a nova paisagem é de fato parte do solo submarino, que se ergueu em decorrência de uma grande força composta de movimentos verticais e horizontais. Segundo alguns especialistas, essa elevação do leito submarino pode significar a abertura de uma nova linha de falhas ao longo da costa neozelandesa.

Parte do leito submarino, erguido mais de dois metros após o terremoto de 7.8 magnitudes.

De acordo com os geólogos Nicola Litchfield e Pilar Villamo, as observações preliminares mostram que além do solo submarino, as encostas também parecem ter sido deslocadas. Em alguns pontos, o leito de um dos rios da região se deslocou por mais de 10 metros na horizontal.

O terremoto ocorreu a 10 km de profundidade, a 46 km a norte-nordeste de Amberley, em 13 de novembro de 2016. O evento atingiu 7.8 pontos de magnitude e liberou a mesma energia que 375 bombas atômicas similares a que destruiu Hiroshima em 1945, o equivalente à explosão de 7.5 milhões de toneladas de TNT.

___________________


A Placa Tectônica Sul Americana


Com as ondas sísmicas abalando toda a superfície do planeta e aos movimentos das placas tectônicas, principalmente do Anel de Fogo no Pacífico, devemos manter uma atenção especial sobre o que vem ocorrendo com os terremotos no Chile e Argentina na altura do Trópico de Capricórnio.

Há por baixo da crosta terrestre, cruzando o litoral chileno na direção da Argentina e passando pelo Brasil sob o estado de São Paulo, uma imensa fenda que se liga a uma depressão submarina localizada na costa paulista, perto da cidade de Santos, que poderá sofrer abalos, como vem ocorrendo na Nova Zelândia.



Adaptação de imagem do Google Maps realizada por Ernesto Shima.

Como esta parte do corpo de Gaia está em pressão máxima, pode afetar as fissuras e fendas a partir do Atlântico, cruzando todo o continente africano até o Mar Vermelho. Assim como a América do Sul possui duas ramificações de fissuras, na África as fissuras também seguem duas rotas.

Entender os sintomas da Terra que refletem exatamente o que Gaia sente, é como o médico que acompanha o paciente e faz seus diagnósticos através do sintomas e sensações que lhe é apresentado, assim analisando os exames clínicos pode receitar os medicamentos... Com Gaia isto não é diferente.

É possível prever possíveis reações futuras, quando um acompanhamento é feito com seriedade e atitude preventiva. O médico é capaz de diagnosticar até mesmo um futuro câncer ao observar cuidadosamente os exames através da observação dos órgãos internos do paciente.

As erupções vulcânicas são como as acnes que surgem na pele, após as reações da epiderme mediante uma infecção.

Assim como temos a nossa rede sanguínea, em Gaia, o sangue é a água. 
Uma reflexão acerca deste fato, pode revelar muito sobre o "lar" que habitamos e como estamos ocasionando diversos danos ao corpo de um ser que sente profundo amor por nós.

Estamos no limiar de uma nova era em que apenas aqueles que ressoarem com o coração amoroso de Gaia poderão permanecer neste orbe terrestre. E seguir Gaia nesta ascensão é ser capaz também de atingir o patamar mínimo de vibração da energia crística.

Os alertas da Mãe Maria


As mensagens de Mãe Maria que apresentei neste blog e você pode rever abaixo, vieram esclarecer em que níveis estão previstas as mudanças.







Sobre as ocorrências de resgate no plano físico de pessoas encarnadas através das operações do Comando Ashtar é algo que não deve causar ilusão, pois ainda é do livre arbítrio a escolha pessoal e muitos não seguiram as recomendações enviadas ao longo dos anos para que cada um alcançasse um nível adequado e ideal para a conexão com nossos irmãos estelares.

Então, as operações de resgates continuarão a ocorrer mas somente no nível espiritual, após o desencarne.

Os que seguiram as recomendações do Comando Ashtar já estão em locais previamente combinados onde poderão receber o amparo necessário para os futuros eventos. A não intervenção no planeta se restringe ao cumprimento e ao respeito às escolhas individuais.

Em amor e luz,
Paz em Cristo!
Shima.
Namastê.

Postar um comentário

 
Top