0
Buraco coronal registrado em 03 de setembro de 2016 pelo satélite de observação slar SDO. Foto: Apolo 11.

BOM DIA QUERIDAS ÁGUIAS!!! Além dos terremotos da semana passada na região da Nova Zelândia e os contínuos movimentos nas placas tectônicas do Anel de Fogo (Pacífico), há que se ficar atento com os sinais que vem do Atlântico, próximo à costa da África (Ilhas de Ascensão), pois existe uma longa fenda que corta todo o continente africano (Nigéria, Chade, Sudão, Eritréia) conectando com a fenda abaixo do Mar Vermelho. As consequências futuras dos fortes terremotos na Oceania indicam que um novo continente se elevará na região que engloba o norte da Nova Zelândia, Ilhas Fiji e Ilhas Salomão, formando uma imensa massa de terra. É uma parte da antiga Lemúria que voltará à superfície. No caso do Atlântico é parte do processo da transformação do corpo de Gaia em sua elevação vibracional para atingir não somente o patamar da 4D, mas também iniciar a sua transmutação para um corpo físico de vibração de 5D. Isso afetará diretamente toda a costa do Brasil. Na Europa é importante observar a existência de fendas sob a crosta terrestre com impactos de grandes magnitudes sob os países da antiga Thecoslováquia e Iugoslávia, Romênia e Hungria. A maior preocupação para a Hierarquia Espiritual é com as imensas quantidades de usinas nucleares de toda a Europa Oriental e Central, com capacidade de extinção de vida no planeta, diante de uma hecatombe nuclear.

EXPLOSÕES SOLARES

Outro fator que afeta diretamente o nosso planeta são as explosões solares que estão surpreendendo até os cientistas. Quando atingem a Terra promovem alterações em vários aspectos afetando o magma, como também a superfície, pois as massas coronais funcionam como um imenso forno de microondas, afetando até a nossa rede de neurônios. Os sintomas em nosso corpo podem parecer insignificantes, mas se dores de cabeça ocorrerem, é sinal de que devemos tomar cuidados especiais nestas situações. No passado grandes explosões solares dizimaram a vida neste planeta, fazendo que os sobreviventes da raça humana regredissem para o reino animal porque todas as redes neuronais do cérebro foram queimados. Foi após este evento que a Comitiva de Sanat Kumara veio à Terra fazer o resgate da humanidade. Desde o ano passado as intervenções dos Comandos Estelares tem sido intensos formando "escudos" de contenção das explosões para bloquear as ondas das massas coronais na direção da Terra. Uma mudança na órbita da Terra teve que ser feita em regime de emergência em meados deste ano. Veja como isso é possível assistindo este vídeo que revela a forma real de como são os movimentos das órbitas dos planetas em torno do Sol: Vídeo: Disponível em: https://youtu.be/0jHsq36_NTU

A TRANSIÇÃO PLANETÁRIA

Nesta fase da nossa viagem cósmica, não se pode interferir no processo ascensional da Terra como do nosso Sistema Solar que é parte de um contexto bem mais amplo envolvendo diretamente toda a Via Láctea. A confusão e até o conflito sobre para onde vamos é compreensível neste sentido, por envolver uma questão que poucos pensam ou refletem. Relaciona-se ao espaço/tempo e ao vácuo que são extremamente influenciados durante um processo ascensional, até de um planeta apenas.

Como seria isso?

Explico. Se um orbe deixa de existir numa dimensão deverá ir para outro nível existencial e no caso da Terra o seu próximo destino é a 4D. Agora, pense comigo... Se um orbe com as qualificações da amada Terra vai para outra dimensão, isso acarreta ocupar um espaço. E ocupando um espaço altera todo o contexto já existente nesta quarta dimensão onde há existência de vidas. Porque também haverá uma nova humanidade que passará a existir nesta dimensão superior. As regras, normas e leis que regem uma terceira dimensão são bem diferentes numa quarta dimensão. Imaginem na Terra, quando se cria uma nova nação ou um novo país... Isso afeta todas as relações internacionais e muitos acordos bilaterais, globais e regionais devem ser feitos. A segurança nacional e regional com outras nações vizinhas devem ser protocoladas e acordadas. Cada nação possui sua Constituição e a Carta Magna da nova nação é estudada, analisada e observada, para se assegurar que o povo desta nação terá ações pacíficas e cooperativas junto a sociedade das nações e em seu entorno. Os limites geopolíticos da nova nação também devem passar pela concordância de todas as nações envolvidas, assim como seguir as leis que regem as nações unidas. Novas embaixadas são criadas nos países que aceitam a nova nação. Muitos entraves são negociados com nações que não aceitam a formação desta nova nação por questões culturais, econômicas, militares ou políticas. Há muito o que ser feito. Assim ocorre também com a ascensão da Terra na sociedade cósmica e universal. É preciso que representantes desta Humanidade, no caso da Terra, tenha assento nos grandes Conselhos e Conclaves galácticos, cósmicos e universais. Sem essa representação, assim como no caso da nova nação, não é possível a negociação, a cooperação e os acordos, para uma convivência e o estabelecimento de uma nova existência a nível planetário dentro da Criação. A Ordem e a Lei Divina rege a vida universal. Na Terra, para esta finalidade, foi criado a GFH - Grande Fraternidade Humana da Terra - que tem esta representação diante de todas as Sociedades Cósmicas e Universais. E assim tem-se cumprido as normas vigentes em nosso Universo Manifestado. Em Amor e Luz, Paz em Cristo! Shima. Namastê. Gratidão ao Pai e a Mãe!

Postar um comentário

 
Top