0


Minhas reflexões - Hoje, a grande realização pessoal


Saudações queridas águias!!!
2009 - O ano do meu retorno a Brasília

Depois de 19 anos fora de Brasília, retornei definitivamente para minha cidade onde cresci desde a infância, após o meu retorno do Japão, passei 3 anos vivendo a "Síndrome do Dekassegui", um sintoma ocasionado pela longa ausência da terra natal.

Este período de "escuridão" foi narrado nos meus artigos "As pedras do caminho" neste blog Caminhando com o Mestre.

Voltando ao assunto sobre o meu retorno ao Brasil...

"SÍNDROME DA VOLTA (*)


Uma situação muito conhecida dentro da comunidade nipônica é a "Síndrome do Dekassegui". Ocorre quando se retorna após muitos anos trabalhando no Japão e encontra uma série de dificuldades na readaptação em solo brasileiro.

Este acontecimento acarreta várias consequências porque envolve o lado emocional, psicológico e mental de quem retorna ao convívio familiar.

Sente que os laços afetivos sofreram profundas mudanças, o meio em que vivia anteriormente encontra-se totalmente transformado. Este novo quadro que surge choca de imediato.

Sem o apoio familiar - que não consegue perceber o choque - o dekassegui entra num processo de conflito interior que se não for detectado a tempo pode levar o indivíduo a um estado de desequilíbrio.

O fato de se sentir "fora do ar", pode promover pânico a qualquer sinal de desconforto, ocasionando insegurança. Começa então a sentir saudades do Japão e da "segurança" cristalizada em sua mente.

A história que se repete todo ano é mais ou menos parecida com as imagens gravadas numa filmadora, como aquelas que são gravadas quando algum membro familiar vai partir para outro país e registra cenas da sua vida antes da viagem.

Encontros com amigos, festas com familiares, passeios pelos lugares preferidos, a cidade, o bairro, a rua, a vizinhança, os colegas de trabalho. Vai gravando tudo para poder matar a saudade quando estiver longe de casa.

No dia da viagem registra tudo... Cada abraço, cada beijo é gravado com carinho. Lágrimas e sorrisos. Despedida marcada pela emoção... Promessas e juras. O compromisso da volta e a certeza da vitória.

Na hora de embarcar a filmadora é desligada. As imagens são levadas juntas como tesouros únicos. Lembranças daqueles que ama... colírio para os olhos marejados, um bálsamo para aliviar a ausência dos entes queridos.

Por anos fica na expectativa da volta, ansiando contar tudo o que viu e viveu. Guarda cada momento para poder relatar com detalhes. Alegrias e tristezas, marcadas a "ferro e fogo" num país cheio de contrastes.

Chega o dia de voltar para casa. Deixa para trás um longo rastro num país que no início parecia estranho mas que depois tornara-se a sua segunda casa. Um lugar para se guardar no álbum de recordações.

Habituou-se àquela gente, ao modo de vida, à tradição milenar... Uma sociedade de primeiro mundo, com alta tecnologia. Fez novos amigos, criou laços afetivos que trazem uma nova dor: a partida, novamente.

Mas tem que partir. Voltar ao antigo lar... Com lágrimas e sorrisos faz a viagem de volta esperando rever todos os entes queridos e "velhos" amigos. Guarda ainda na lembrança aquele dia em que partiu para o Japão.

Atravessa metade do planeta ansioso pelo reencontro. A saudade bate forte no peito. Desembarca no aeroporto de São Paulo. A emoção da volta o domina, mas fica aquele vazio: "Onde estão todos?!".

Seu subconsciente grava cada instante. O tempo nublado, frio e úmido. O vento gelado faz o seu corpo tremer. Seus ossos chacoalham. Faz esforço para manter as pernas firmes. Sua memória viaja no tempo. Passaram-se dezesseis anos!

Antes, várias tentativas para o retorno já haviam sido feitas em vão. Sempre a mesma imposição: "É melhor você ficar aí no Japão, aqui no Brasil está ruim!". A única vez que conseguiu voltar ao país de origem, permaneceu por um ano e meio.

Sentia-se cansado dos longos anos vivendo num país longínquo, ao completar meio século de vida, deseja recomeçar uma nova vida em sua terra natal. A aposentadoria torna-se uma das principais preocupações.

Durante três anos, enfrentou desafios, conflitos e decepções. Superou a crise de identidade que abateu muitos dekasseguis que retornaram ao Brasil. Passou por situações constrangedoras... Mesmo a notícia de uma doença não o abalou, preferiu viver!

No fim deste período de readaptação a sua filmadora pode finalmente ser religada. Com vontade e coragem consegue transpor a ponte sobre o vácuo que a distância e o tempo havia criado entre ele e aqueles a quem amava.

Do outro lado da ponte reencontra... a família... os amigos... sonho e ideais!

Shima
22/11/2009"

(*) Esta fase marcou o meu retorno definitivo à Brasília, desde que fui para o Japão em 1990.

HOJE, 7 ANOS DEPOIS... ANO DE 2016


Uma aventura marcada por dramas e incríveis momentos de realização, permeado por vitórias conquistadas em todas as frentes onde um homem é capaz de se desafiar... assim fiz.

A incompreensão marcou esta fase. Há que se ter o conhecimento sobre a espiritualidade humana para entender ao alguns pontos que marcam os passos de um peregrino da Luz.

A caminhada não é um "mar de rosas" como sempre repito. Paralelo a estas situações mantive o bom senso, o código Bushido que carrego comigo, uma bagagem de vida adquirida ao longo de 16 anos vividos no Japão: Sim, sou um guerreiro!

O que passei me faz sorrir... as lições de vida foram um grande aprendizado que agora, posso dizer com segurança que sou um homem realizado.

De 2009 até o início de 2012 permaneci firme, confiando no tempo como o melhor remédio para uma situação muito difícil contada nos artigos que chamei de "Caminho das pedras". Durante 3 anos desenvolvi a prática da confiança e da fé, quando tudo estava contra mim, até a minha família devido à minha espiritualidade aflorada.

Depois de um bom tempo em que tive que passar por análises de médicos e psiquiatras,  fui considerado uma pessoa normal, capaz e lúcida... Pude então recomeçar com força total. Durante toda esta trajetória fiz um processo de reinserção na sociedade que até então não havia conseguido devido à "Síndrome do Dekassegui". Durante este período fiz uma reciclagem profissional e cursos de especialização para retornar ao mercado de trabalho.

Logo que recebi a alta médica, passei num concurso público e mudei para a cidade de Águas Lindas de Goiás, onde passei a ser um servidor público, exercendo as minhas atividades numa escola municipal. Por 3 anos desenvolvi todos os potenciais e aptidões profissionais, realizando sonhos e ideais. Foi nesse período e nessa cidade goiana que criei a GM (Grande Missão), que seria a minha maior realização espiritual desde o meu retorno do Japão.

Pois foi no Japão que realizei a mais completa peregrinação espiritual que uma pessoa é capaz de vivenciar. Por 16 anos percorri todos os santuários sagrados, estudei, pesquisei e desenvolvi novos métodos de cura e vivência para o nosso despertar consciencial, além de receber os ensinamentos e revelações sobre a nossa evolução, ascensão e propósito divino na Terra.


A REALIZAÇÃO DE UM SONHO: GFH...


2016 - Foto atual, sete anos depois...
Foi realmente um período intenso, de plena expansão da consciência seguido de vários testes e aprendizados. Agora, vivendo aqui em Barra do Garças, Mato Grosso, posso concluir diversas fases do meu desenvolvimento espiritual através da concretização de sonhos, ideais e projetos.

Depois de 3 anos em atividades com a GM, tendo criado diversos grupos de estudos e trabalho, chego ao ponto onde realizaram-se as mais surpreendentes manifestações de despertar, conscientização e revelações sobre a nossa jornada espiritual na Terra, ao lado de outras águias. 
                                                                      



A GFH - Grande Fraternidade Humana da Terra é uma dessas realizações da qual me preenche de infinita alegria, com um sentimento de gratidão a todos os mestres, mentores, guias e guardiães espirituais que me conduziram a este caminho de Luz, Sabedoria e muito Amor. Essa organização social funciona como uma ONG e tem o propósito de criar uma nova consciência: Um cidadão universal, onde a fraternidade humana é o objetivo principal de relacionamento da raça humana entre si e com todos os seres manifestados.

A busca pela paz é um dos nossos projetos sustentado pela MPT (Missão Paz na Terra) desenvolvido pela GFH em todos os setores da sociedade. Esta é a nossa Bandeira Crística.

Aqui em Barra do Garças, MT, vamos iniciar uma nova jornada colocando em prática o "Projeto Terra" criado para manifestar em nosso mundo o Plano Divino destinado à Humanidade terrestre, uma civilização altamente espiritualizada, mediante a promoção de crescimento individual, expansão do amor divino e da prática das corretas relações humanas.

É um desafio? Sim, um grande desafio que necessita de uma imensa "mão de obra" pois este Projeto Terra é para todos participarem, voluntariamente e com o espírito fraterno de amor ao próximo. A filosofia é "ser Amor", nada mais do que isso é necessário.

Então, corações amados...

Após estes últimos 7 anos, posso afirmar com toda a certeza de que estamos no caminho certo, quando apenas este Amor vibra e ressoa em nosso coração, nos conduzindo na direção do bem, da verdade e da beleza que inebria uma alma divina em sua essência. Os anjos de Luz são vocês, que anseiam e lutam para sustentar a Luz em nosso planeta, em cada vida e em cada ambiente onde se manifestam.

Os alicerces da Obra de Solidariedade Universal começam por cada um de nós. A Paz sim, é possível, mas antes, vamos limpar o terreno para que a transição planetária seja plena em amor. Essa é a transição: a época que estamos vivendo agora.

Vamos nos preparar, compreendendo o aqui e agora!

Uma nova vida... uma nova era!

Somos Luz... somos Amor!

Paz em Cristo!
Shima.
Namastê.

Postar um comentário

 
Top