0


A busca incessante por um par perfeito ou por sua alma gêmea se origina da existência de um complemento divino que está inserido no subconsciente de qualquer ser humano. No caminho da evolução de cada alma, cada complemento segue seu próprio destino, como uma consciência individualizada e independente da sua outra metade.

Durante a jornada terrena alguns destes complementos alcançam a sua liberdade e a sua ascensão, enquanto seus complementos divinos ainda permanecem mergulhados nos mundos ilusórios da tridimensionalidade.

Neste caso, a essência – a alma – de um ser humano é negada e sua existência ignorada, causando a confusão na forma de ver e aceitar uma pessoa como ela é na sua realidade interior.

O corpo físico é a vestimenta de um ser encarnado e não o próprio ser.

Os desencontros entre os complementos divinos acontecem quando são envolvidos pelas ilusões do mundo e os dois mergulham num turbilhão de sensações e emoções da vida terrena.

Os complementos divinos quando estão encarnados numa mesma existência, estão de alguma forma sempre próximos um do outro durante a maior parte da vida, e em muitos casos há os desencontros entre os dois. Isto ocorre por causa da ilusão que o mundo físico impõe sobre a personalidade.

A influência e a pressão do mundo exterior determinam o comportamento humano na relação dos sexos opostos. O apelo sexual é muito forte e o estereótipo da beleza de qualquer pessoa está localizado no seu aspecto físico.

Todos os seres humanos têm o seu complemento divino e cada complemento tem o aspecto da energia masculina e a outra parte, a energia feminina. No mundo em que vivemos – plano físico – essas energias se manifestam através da razão (positivo e masculino) e da emoção (negativa e feminina), duas características marcantes entre dois seres de sexos opostos.

A união dessas duas energias em níveis elevados de consciência ocasiona a harmonia, a serenidade, a paz interior e a felicidade plena. É o estado perfeito da Unidade.

Por isso, quando dois complementos se encontram na maturidade espiritual, suas auras se transformam numa pura luz branca e os dois seres são vistos como duas chamas gêmeas.

Sempre que surge o assunto sobre o par perfeito, isto quer dizer que esse tema está muito ligado a almas gêmeas, sendo que os complementos divinos estão num nível mais elevado de relacionamento e abrange um aspecto bem mais profundo da evolução da alma humana.

Relaciona-se à própria ascensão, a meta final em nossa jornada pela terceira dimensão. E uma alma gêmea representa, nos mundos inferiores, um aspecto fragmentado da sua verdadeira identidade como ser de Luz: um complemento divino.

O momento atual é de conscientização desta grande verdade da Vida. A harmonia e o equilíbrio entre estas duas energias divinas, o masculino e a feminina. O entendimento sobre estes dois aspectos dos quais nos originamos, irá trazer o esclarecimento sobre todos os dilemas que existem na vida individual de cada ser e tornará a caminhada mais suave e doce sobre a face deste planeta e nesta dimensão.

O amor terreno entre dois seres (homem/mulher), sendo um fragmento do Amor Divino, já se limita por si mesmo e nesta dimensão tudo o que existe é temporário e ilusório. O amor/paixão é um passo importante em nosso aprendizado a cada encarnação porque alimenta os sonhos que amenizam a caminhada e fortalece a alma que peregrina na sua jornada pela Terra.

Podemos observar este amor que renasce e se transmuta em cada estação, olhando como se estivéssemos no térreo de um edifício ou podemos também ter uma visão mais ampla e profunda, contemplando este mesmo amor lá do quinto ou sexto andar.

A felicidade que a humanidade tanto almeja não é algo a ser buscado porque é um estado de ser. É quando o ser humano alcança a sua paz interior e nesta serenidade começa a expandir a harmonia da sua alma ao seu redor. São como pequenas ondas suaves que se movimentam apenas pela energia do Amor Divino.

A verdadeira felicidade consiste em fazer o semelhante feliz! A felicidade existe sim, porque a nossa alma sorri constantemente e basta que deixemos o Amor fluir incondicionalmente para senti-la em toda a sua plenitude.

Sobre o amor, entre um homem e uma mulher, a ilusão está presente quando este sentimento é rotulado como uma conquista e tem o seu valor pré-estabelecido pela vestimenta imposta pelo mundo da forma. O amor não é uma posse a ser adquirida e nem confiada nas mãos de outro ser, porque o amor não tem dono.

É um sentimento livre que flui de coração para coração, por isso ninguém deixa ninguém no caminho. Apenas esse alguém parte e continua a sua caminhada, porque o amor que fluía numa relação encontrou um bloqueio em sua passagem e necessita de outra janela aberta para poder continuar fluindo.

É da natureza do amor... amar!

Impedir isso é como fechar as comportas da represa de um lago. Um dia estoura. Os sonhos muitas vezes são mais reais do que a própria realidade em que vivemos, porque criamos o nosso mundo interior e o manifestamos de acordo com as nossas crenças e valores no mundo exterior.

E ser feliz consiste em podermos caminhar livremente pelo mundo da forma, acariciando com os nossos pés o solo em que pisamos. Somos seres divinos e almas maravilhosas que com apenas um sorriso e um abraço carinhoso, mudamos o mundo... das pessoas!


Se queremos ter um relacionamento harmônico... mais humano, é fundamental voltarmos os olhos para a nossa alma. Reconhecê-la como de fato ela é... divina! Feito isso, a nossa visão e o sentido que temos da vida, toma um rumo surpreendente.


Olhamos as pessoas como sendo a própria divindade encarnada. O mundo em que vivemos torna-se um campo de experiências maravilhosas, onde a vida é reverenciada como um dom também divino.


Vivenciaremos o êxtase da felicidade plena, realizando um propósito para o qual existimos: manifestar a Vida!... em toda a sua abundância.

Paz!
Shima
(23.11.2012)

Postar um comentário

 
Top