0


Saudações Anjos de Luz!

Há muito tempo venho trabalhando em meus artigos os temas relacionados à energia da Mãe Divina...

É de se esperar que a Ala Feminina de Gaia acorde e resgate em si, o que foi conhecido no passado como a “cultura matriarcal” que reinava no planeta em todas as civilizações e sociedades até então conhecidas...

Por eras... por centenas de milhares de anos... vocês semearam a Terra com a brandura do amor maternal...

E a Terra não conhecia a guerra fraticida... e as tribos eram lideradas pelas anciãs... as mais sábias... que sempre eram conhecidas como a “grande mãe”!

Seus filhos seguiam o caminho da disciplina... traziam a segurança para a família... pois assim eram as tribos... uma grande família. As filhas eram preparadas para serem sacerdotisas na forma como se expressavam em suas culturas...

Até os tempos atuais restam muito da cultura matriarcal... pois mesmo que sutilmente, as mulheres ainda carregam a alma feminina que não foi “contaminada” e a expressam em seu lar, em suas relações e em suas atividades profissionais e intelectuais...

E trazem vidas após vidas, através dos tempos... a marca das sacerdotisas.

A “mística” se revela através das suas intuições aguçadas, o sentido de premonição, o domínio de artes com seus dons mediúnicos: os runas, os tarôs, os búzios, os cristais... a percepção extra-sensorial... e a sua feminilidade que representa o movimento cósmico da Criação...

Entre todos os arquétipos das deusas das mitologias antigas ocidentais e orientais encontramos os estereótipos que foram criados pela consciência da alma feminina...

E que foram manifestadas sobre a superfície do planeta como as “deusas guerreiras”...

O maior apogeu ocorreu durante a civilização da Atlântida e posteriormente com o desaparecimento deste continente, enraizaram a cultura da Mãe Divina na civilização celta, cujo núcleo se encontra até hoje sob uma cúpula etérea na Irlanda...

Como sacerdotisas foram o centro do equilíbrio planetário e cósmico, pois ainda se mantinha o contato com a Hierarquia Cósmica e Divina e representavam na Terra a própria Mãe Divina, através dos templos sagrados espalhados por quase todo o mundo conhecido....

Veneradas... cultuadas... adoradas... amadas... eram a inspiração para os corações masculinos e a forma exemplar que as mulheres deveriam buscar em suas iniciações espirituais através da manifestação terrena e material...

Nos tempos atuais... na civilização contemporânea... há décadas que elas vem fazendo o movimento do resgate da energia feminina... e numa “luta” quase invisível avançaram passo a passo em sua jornada terrena para conquistar o espaço original que foi usurpado nos tempos remotos...

Agora, é ficar contemplando a atuação feminina por todo o globo terrestre... em todos os campos do conhecimento humano... das atividades em todas as áreas da sociedade!

Lindas... amorosas... carismáticas... alçam voos inacreditáveis em tempos passados!

Assumem postos de comando... de direção.... de gerenciamento... de liderança nas camadas sociais...

Causaram choques... conflitos... dilemas... reações... contestações... mas como uma energia que envolve... abraça... se movimentaram como as brisas... e suavemente foram conquistando os domínios que antes eram mantidos pela “cultura patriarcal”... cujo poder operava pelo medo e pelo domínio da força...

Elas carinhosamente chegam... delicadamente sorriem... e enlaçam esse “poder masculino” com a expressão que vem do coração... o amor... a tolerância... a compaixão.... a compreensão...

O mistério que envolve a energia divina da “Mãe”... é que nenhuma mãe ensinaria ou enviaria um filho para a guerra e para matar outro irmão... e trazer a dor para uma mãe como ela mesma... e essa compreensão manteve o mundo em paz, que a humanidade nunca mais alcançou desde que elas foram retiradas do altar onde reinavam...

É esse o resgate que ocorre por todo o planeta... e a maior transformação que elas trazem vem através da poderosa energia feminina conhecida como a “Opinião Pública”, pois é onde está hoje a grande força onde operam a mudança mundial...

“Quem tem olhos para ver... verá!”

A “Ala Feminina de Gaia” está ativa... 

A energia da “Mãe Divina” está em plena manifestação terrena...

E as mulheres ancoram em si as suas Deusas... e tornam-se então... as Guerreiras da Luz!

E o Plano Divino se manifesta agora...

O que houve a dois mil anos... foi a implantação do Poder do Amor e isso foi feito pela Ala Masculina...

Agora, para a manifestação do Poder do Amor... isso somente poderá ser realizado pela Ala Feminina...

Aqui está a revelação ao mundo sobre a nova Era...

A Vontade Divina será expressa pelo Grande Ser... através da energia da Mãe Divina!

“Quem tem ouvidos para ouvir... que ouça!”

Em Paz... no Amor Infinito,
Shima.

Postar um comentário

 
Top