1

REFLEXÃO - O DOM DA CLARIVIDÊNCIA


É inato nas mulheres o dom da clarividência, mas em sua maioria está bloqueado pela falta de uso adequado ou consciente.

As canalizações são um dos aspectos da natureza feminina, assim como a visão interna - terceiro olho - que foi tão comum nos tempos da Lemúria e da Atlântida.

Por isso as sacerdotisas tem sido os faróis que guiam, instruem e orientam a humanidade, isso quando há uma perfeita e equilibrada conexão com suas deusas.

Até nos tempos antigos, era um fato comum dos grandes guerreiros consultarem uma sacerdotisa antes de entrarem em campanha de batalhas, por isso essa egrégora persiste até os dias de hoje: sacerdotisa x guerreiro.

Ser um canal puro para as hierarquias espirituais é outro grande desafio para as sacerdotisas tanto quanto para os mestres, mentores e guias da humanidade, pois é difícil encontrar um canal desprovido de ego ou vaidade.

E a ala masculina tem seus representantes quando estes já alcançaram um certo desenvolvimento sobre o aspecto feminino da energia, que passam a ter domínio e manipulação através de vivências passadas em outras vidas.

Além da canalização há o processo da projeção da consciência que poucos tem conhecimento da sua prática e eficácia. Uma situação é canalizar as mensagens e outra bem diferente é a de se projetar e estar bem diante dos seres de alta vibração e com estes manter uma conversa direta, em que as instruções, recomendações e orientações são passadas pessoalmente.

Muito há que se falar e revelar sobre as sacerdotisas, tanto em relação aos significados das suas existências, das suas missões divinas, dos seus propósitos como luz para a raça humana e da linhagem dessas deusas em sua origem estelar.

As missões e tarefas que são dispensadas às sacerdotisas nesta etapa da Transição Planetária e no Expurgo Planetário está sendo de suma importância nas operações de resgates no Umbral, pois é lá que está a maioria da humanidade desencarnada e que precisa das ações dessas deusas, para conseguirem encontrar o caminho de casa.

E muitos destes seres perdidos, foram em vidas passadas, filhos, mães, pais, maridos, esposas, parentes, amigos, companheiros e até irmãos e irmãs de desavenças que agora buscam desesperadamente uma oportunidade de serem compreendidos e perdoados.

Assim é o plano divino de uma sacerdotisa: servir!


A CORUJA BRANCA


Símbolo também do manto sagrado de todas as sacerdotisas, pois possui uma egrégora com a cor Branca do 4º Raio e em algumas as listas azuis significam uma linhagem do 1º Raio - Vontade Divina, ou seja, o cumprimento de um propósito divino dentro da Lei do Livre Arbítrio.

Poucas semanas antes de conhecer a "Corujinha", uma imensa coruja branca começou a pousar sob o telhado da área coberta no fundo do NA e hoje, permanece sobrevoando o NA, alertando sempre de quaisquer perigos ou ameaças que possam nos atingir.

A partir do alarme desta coruja branca, todo o sistema de proteção e segurança é ativado em volta do NA através dos guardiães estacionados até os limites da muralha que cerca a área onde vivemos.

A revelação sobre a "Coruja Branca" veio no decorrer dos trabalhos de resgates, onde vários seres conheciam a Corujinha e a chamavam por este codinome que era o símbolo da Sacerdotisa que ela exerceu em várias vidas desde a época da Lemúria.

Ao reconhecerem a "Coruja Branca", as reações de seres até das trevas eram visíveis e imediatas. Havia respeito. Muitos irmãos que atuavam nas trevas como magos negros de alta periculosidade, retornaram para a Luz, somente ao estar na presença da Corujinha.

Foram momentos de muita emoção em cada um dos resgates ocorridos com os seres umbralinos. Até as sacerdotisas das trevas - as bruxas malígnas - têm sido resgatadas pela Corujinha e levadas até a presença da Mãe Divina. As cenas de choros e lágrimas nestes encontros surpreenderam em todos os sentidos.

E foi nestes reencontros divinos que compreendemos o verdadeiro sentido sobre o significado de "Misericórdia" e "Compaixão", os sentimentos que são a síntese do nosso Universo. Assim tem sido as atitudes do Pai e da Mãe Divina com todos os seus filhos e filhas que estão sendo resgatados.

Até mesmo um veredito de extinção decretado pelo Grande Conselho Cósmico e Universal a uma das ex-águias, foi convertida a pedido do próprio Pai Micah em exílio, por pura compaixão e misericórdia. Esta ação do Pai causou uma grande transformação em nossos "pré-conceitos" em relação ao "mau" e à "treva".

O aprendizado tem sido intenso e profundo e agora, a própria Mãe Divina nos traz grandes revelações sobre as Sacerdotisas que ao longo das eras serviram ao propósito divino do Pai e que se desviaram do caminho do serviço no Templo do Amor Maior.

Que as guerreiras reencontrem suas deusas e nesta conexão, retomem as sacerdotisas que habitam nelas!

A Mãe Divina apenas aguarda o retorno de suas filhas!

Em Amor e Luz,

Paz na Terra!

Shima.

Namastê.



Em especial a minha gratidão profunda à Coruja Branca, cuja história ultrapassa milênios e somente nesta vida atual, já consta nos registros do Tribunal do Conselho Cármico, milhares de resgates com sucesso, incluindo os mais surpreendentes e milagrosos que ocorreram nos últimos meses, mudando toda a história do nosso Universo.




Gratidão ao Pai e a Mãe!



(*) No TMD (Templo da Manifestação Divina) instituído agora pela GM terá o propósito de preparar as sacerdotisas e os sacerdotes para a Grande Missão, onde a Mãe Divina, Mãe Maria, Mestra Nada, Kwan Yin, os Mestres ascensionados da GFB, o Povo de Aruanda, e também o Cmte Ashtar e o Arcanjo Miguel, farão as instruções diretas na preparação e orientação destas Águias, além dos treinamentos sobre canalização e serviço aos Templos Divinos.

(**) O TP (Templo da Purificação) é outro templo dedicado ao Complemento Divino de um Grande Arcanjo que iniciará as Sacerdotisas no processo de limpeza, purificação e serviço sagrado nos ofícios à Mãe Divina.

Postar um comentário

 
Top