0


“O microcosmo contém o macrocosmo”.

A descida na matéria física se fez fragmentando uma parte do Todo, densificando a nossa energia sutil até atingir o nível de materialização no plano físico em que vivemos neste planeta. Cada corpo humano contem seu próprio código genético cuja identidade foi aperfeiçoada ao longo da sua jornada evolutiva.

O planeta Terra é o nosso habitat. É onde estamos crescendo e aprendendo a nos expressar como almas humanas. Tanto na Terra como neste plano físico somos seres evoluindo com um propósito divino. Aqui temos a oportunidade de viver como alunos nas escolas que vão desde o jardim de infância até a vida acadêmica nas faculdades.

Todo final de ano encerramos uma etapa.

A Terra também faz sua evolução como um ser planetário. Ela terminou seu curso na terceira dimensão e vai seguir seu novo ciclo de crescimento e aprendizado na quarta dimensão. E toda vez que o nosso planeta conclui uma etapa, a nossa humanidade recebe um presente, ganhando uma nova sala de aula.

O nosso ano “escolar” é medido pelo ano solar, o tempo que a Terra leva para dar a volta completa em torno do Sol. Do mesmo modo que o ser humano tem o seu ciclo anual, o ser planetário também tem o seu ciclo anual num contexto mais amplo chamado de ano cósmico.

O conjunto de seres humanos constitui uma família que conhecemos como a nossa humanidade e o conjunto de um grupo de planetas formam outra família que são os sistemas solares, os quais giram em torno de um grande Sol Central e assim sucessivamente até completarem o quadro gigantesco que é a nossa Via Láctea.

O ciclo lunar é de 28 dias, o ciclo solar é de 365 dias. Estes são os tempos lineares que vivemos em nosso campo evolutivo. O ciclo cósmico é mais extenso e o nosso sistema solar leva 26 mil anos para concluir a sua volta em torno do seu Sol Central.

É este final de ano cósmico que estamos vivenciando neste momento.

O fato relevante que ocorre neste ciclo atual relaciona-se à sincronização que o nosso Sol Central fará agora com o centro da nossa Via Láctea ocasionando um alinhamento cósmico que afetará a vida em todos estes sistemas, incluindo também os planos dimensionais mais sutis. Quando estivermos passando por esta fase, entraremos num campo de influência gravitacional de alta vibração conhecida como Cinturão de Fótons.

O efeito será estupendo, magnífico e de rara beleza em nosso Universo.

Será o instante em que a nossa mãe Terra dará o seu salto quântico para o novo plano dimensional. Um novo céu e uma nova terra surgirão diante dos olhos daqueles que sobreviverão na passagem para a nova Era. Para estes, terá terminado o ciclo de provas e expiações da tridimensionalidade e começarão a fase de regeneração que é o processo da quarta dimensão física.

Em nosso plano evolutivo estamos atrasados por causa da queda que tivemos em um passado remoto. A nossa humanidade deveria estar entrando na quinta dimensão hoje. Por causa disto, a passagem pela quarta dimensão será acelerada e, muitos seres evoluídos já estão aptos para ingressarem na quinta dimensão física.

Aqueles que escolheram permanecer na terceira dimensão física serão transferidos para outro planeta onde poderão continuar o aprendizado, porque a Terra deixará de ser habitável neste plano dimensional. Os que foram reprovados por possuírem excessos de energias negativadas irão para um orbe mais denso, de ambiente bem primitivo e selvagem.

Para aqueles que continuarem na tridimensionalidade terão suas memórias de vidas passadas “apagadas” nas reencarnações seguintes, para não sentirem a dor da separação daqueles entes queridos com quem mantiveram laços afetivos durante suas jornadas terrenas.

Cura e resgate

O projeto de cura e resgate para o nosso planeta foi desenvolvido a partir das dimensões mais sutis, estando hoje concentradas nos níveis mentais inferiores, astrais e físicos.
Para a entrada de novas energias e raios de cura e, para que fossem inseridas com sucesso na nossa humanidade, todas as malhas energéticas que envolviam a Terra no mundo da dualidade e da ilusão começaram a ser retiradas.

A barreira de frequência da tridimensionalidade foi desativada sendo por isso, que muitos seres humanos na face do planeta estão sentindo profundas mudanças e sintomas que se confundem com “doenças” nunca existentes nas suas vidas.

Tudo o que se relaciona com a materialidade e conquista deste mundo dimensional está sendo varrido literalmente da vida de cada um, porque o tempo na escola de aprendizagem através das dores e sofrimentos terminaram.

Os tempos agora são outros! O que vem agora é a grande faculdade, onde cada um – os que passaram nas provas e no vestibular – especializar-se-á nos seus dons divinos e tornar-se-á capaz de ser um co-criador, assumindo sua condição original de um filho de Deus.

O total de almas peregrinas que fizeram suas experiências em nosso planeta somou mais de 60 bilhões de seres e a maioria desses já voltou para seus respectivos lares – planetas de origens – em diversos planos dimensionais. As almas desencarnadas que habitam os diversos níveis dos planos astrais e mentais inferiores estão sendo resgatados e levados embora daqui.

Dos restantes, os processos de encarnações neste mundo terreno, tornaram-se seletivos e muitos estão aguardando suas transferências para outros mundos habitados, onde continuarão seus processos evolutivos.

Os mais negativos, que continuam a manter um “contrato” com o lado das trevas, estão sendo sumariamente “sugados”, após o desencarne, pela força energética extremamente negativa do planeta “chupão” (planeta errante) – que já se encontra nas proximidades da órbita interior do nosso sistema solar – onde permanecerão dentro da aura deste tenebroso planeta até que recomecem seus ciclos reencarnatórios para um novo aprendizado, começando tudo novamente, a partir do zero.

Todos os membros das equipes de trabalho que pertencem ou estão ligados ao comando Ashtar – encarnados ou não – estão atuando de forma intensiva e ininterrupta nos últimos momentos desta nossa transição, aguardando que a humanidade acorde para a emergência da situação em que se encontra e possa contribuir de forma ativa para amenizar os efeitos, que são consequências de nossos próprios atos nesta vida ou em vidas passadas.

A seleção dos seres humanos que vão para um determinado plano de existência não é determinada por nenhuma autoridade de cima, mas simplesmente pelas escolhas individuais de cada ser através do seu livre arbítrio. As “notas” das suas provas finais estão gravadas nos seus próprios códigos genéticos.

E cada código genético é a senha individual para um ser poder passar pelos seus próprios portais!

Paz!
Shima

Postar um comentário

 
Top