3




Despertar

"A cada dia surge a oportunidade
de uma nova opção de escolhas:
continuar a viver apenas sonhando
ou realizar os sonhos da sua vida!"



O primeiro brilho dos raios de sol desponta no horizonte. A aurora traz, em si, a esperança de um novo renascer, de uma vida renovada. É o momento de acordar e sentir a plenitude da beleza deste magnífico momento: o amanhecer de um novo dia!

O mundo dos sonhos, aos poucos, vai se desvanecendo na nova realidade que se descortina diante dos olhos. A luta interior se intensifica querendo manter os sonhos na consciência física. Surge a necessidade de se fazer a primeira escolha do dia: adormecer e continuar sonhando ou acordar para viver a linda manhã em sua vida.

Levantar da cama e enfrentar a rotina do dia é a atitude correta e natural de cada ser humano. Assumir a responsabilidade de viver a vida, de forma consciente, significa que despertou. A sensatez e a maturidade são os aspectos inerentes da pessoa desperta que está pronta para encarar a sua jornada diária.

Assim também ocorre com a nossa vida espiritual.

Em nossa caminhada nesta densidade física enfrentamos diversos obstáculos que surgem, invariavelmente, em todas as circunstâncias. A tridimensionalidade em que vivemos é um mundo de provação, um local de aprimoramento, uma escola de aprendizagem. A cada lição que se aprende segue-se sempre um teste. Esta é a vida escolar de cada ser humano neste nosso planeta.

A única diferença que existe entre a escola tradicional que frequentamos e a escola da vida, está nas respostas às questões apresentadas durante a prova: na tradicional, temos a opção de múltiplas escolhas e a famosa n.d.a.; na vida, têm-se apenas duas: uma correta e outra incorreta.

Na escola da vida inexiste o certo ou o errado porque estamos aqui para aprender a forma correta de viver, relacionar e amar. O crescimento espiritual é individual, mas o aprendizado é coletivo. Portanto, os nossos erros devem ser encarados como uma das opções: escolhemos a forma incorreta de viver, de relacionar, de amar. Isso, às vezes, acontece porque estamos tentando acertar na vida. Apenas isso!

Devemos eliminar o trauma que surge após cada sofrimento - em qualquer nível - porque agindo assim, vai facilitar o sucesso no próximo teste, já que a prova virá com as mesmas lições em que fomos reprovados anteriormente. Embora as questões sejam  formuladas de forma diferente, serão baseadas no mesmo conteúdo. A compreensão disso ocasiona facilidade no aprendizado da vida.

O autoconhecimento é fundamental na existência de qualquer pessoa. Conhecendo o seu potencial interior, torna-se apta para enfrentar todas as circunstâncias que se apresentam diante de si, superando cada obstáculo que se interpõe no seu crescimento como ser humano. A meta da nossa humanidade é a evolução.

Sem a aprovação no teste final não se pode passar de ano. Essa é uma das verdades absolutas, independentemente de ser materialista ou espiritualista. É a regra que rege a nossa existência terrena! Aceitarmos a nossa condição de alunos é conscientizarmo-nos de que somos aprendizes nesta dimensão física. Não existem privilegiados na sala de aula, pois todos que frequentam a escola tridimensional vieram para estudar e aprender.

O fato de existirem alunos rebeldes e acomodados deve-se à incapacidade de adaptação e à falta de vontade de aprender, por estarem alienados nesta realidade física. Preferem seguir o fluxo da maré, ao invés de assumir o timão do barco e determinar o rumo de suas vidas. Para se vencer todo o processo da existência é necessário saber para onde estamos indo, qual é o objetivo da nossa passagem por este mundo material.

As questões sobre a vida, que sempre se apresentam diante de nós, contém perguntas e respostas. Então, ao procurarmos a definição da nossa vida, estaremos nos debatendo naquelas que são fundamentais: "de onde viemos, o que fazemos aqui e para onde iremos?" Ao formularmos as perguntas corretas, com a vontade sincera de buscarmos a verdade, as respostas virão. Agindo dessa forma, tornamos-nos grandes alunos, os verdadeiros peregrinos na vida.

Ao tomar conhecimento da existência da alma, os anseios ultrapassarão todos os limites da dimensão física e romperão os paradigmas que sempre bloquearam a visão da verdadeira realidade: a espiritualidade. A partir daí, a porta de um novo mundo se abrirá diante dos olhos, desmistificando tudo quanto até então se acreditava ser real e verdadeiro. Reconhecerá a ilusão em que tem vivido e compreenderá o sentido da vida. Saberá viver plenamente a dualidade da terceira dimensão.

O despertar é o momento seguinte ao acordar. É quando assumimos uma responsabilidade perante a vida. É estar consciente de que se existe esta nossa terceira dimensão há também uma primeira, segunda,  quarta, quinta, sexta, sétima e assim em diante. É compreender que estamos vivendo numa dualidade, o que significa que se tem uma opção de fazer a escolha, não importa qual. O mais importante é saber viver a essência do seu ser: a sua divindade!

O ser desperto é aquela personalidade que permite que a sua alma se manifeste através de si mesma e expresse, no mundo da forma, todo o seu potencial divino. Transmite alegria com a sua presença. Cativa o semelhante com o seu sorriso. Relaciona-se com a serenidade do amor. Doa a vida para expandir a sua luz interior. Nada mais deseja senão a felicidade do próximo. E vê em toda a emanação de vida, um dom sagrado, uma dádiva divina, uma oportunidade de crescer junto e de ser uno com a própria vida!

A transformação na vida daquele que despertou é radical. Agora sabe que a existência das trevas é consequência da luz que brilha no seu interior. Reconhece a sua alma como uma verdadeira consciência individualizada e trabalha para a sua expansão. Expandindo-a, alcança níveis inimagináveis  para a mente física tridimensional.

O desperto entra continuamente em comunhão com a sua parte superior e, sabe agora, que é o fragmento de uma consciência muito maior que si mesmo. A compreensão da sua própria existência é um fato consumado. Aquele que despertou conhece o caminho de volta para o lar de onde um dia partiu e, conscientemente, utiliza este percurso para o seu crescimento espiritual.

Paz 
Shima

Postar um comentário

 
Top